segunda-feira, janeiro 09, 2006

irRItante











-Não é sempre… nem todas as manhãs acordo irritado com o mundo e com tudo (excepto as minhas gatas), que se me depara nos primeiros vinte minutos do dia despertado. Por vezes até a minha inépcia me irrita: o tropeçar nos chinelos ao lado da cama, o corte ao barbear, o entornar do café, as coisas que não me aparecem onde as procuro e toda uma longa lista de imbecilidades que sou mais do que capaz de cometer, antes ainda de sair para a rua. Irritam-me as notícias na rádio acerca do trânsito, porque hão-de ter a mania de as dar se as repetem diariamente? Será por serem outros automóveis e não os do dia anterior, que lá estão nos engarrafamentos?

-Irrita-me de sobremaneira receber telefonemas logo pela manhã acerca de assuntos que não possuem nem urgência nem importância suficiente para gastar calorias a carregar nas teclas. Havia uma única excepção. Aí sim, era um prazer acordar e olhar o nome de quem me telefonava, falar um minuto, ou dois e levantava-me como se o mundo fosse só céu azul e sol prazenteiro. Mas até isso abandonou as minhas “madrugações”.

-Como disse isto não me acontece TODAS as manhãs, mas quase e nas poucas em que a má disposição não se manifesta imediatamente, é sempre uma questão de tempo até que surja. Nos dias chuvosos ou “morrinhentos”, a situação ainda se agrava mais. Por isso, faço daqui um apelo: Não se cruzem comigo antes de passar uma hora do meu despertar; Não me falem e se o fizerem por mera boa educação, que não seja mais do que um bom dia atirado de longe que eu responder-vos-ei.

-Já me disseram que talvez sofra de um qualquer estado depressivo, provocado pela falta de luminosidade e que deveria fazer algo como fototerapia. Só me faltava essa…, talvez faça, mas...é In-Provavel.

Rui


1 comentário:

Miss _B disse...

Não és o único...A pseudo-depressao matinal também me atinge mas, felizmente, vai desaparecendo ao longo do dia, encontrando na noite o auge da boa disposição. Parabéns plo blog... A propósito disto: http://ciberia.aeiou.pt/?st=4085

Bárbara