domingo, dezembro 31, 2006

FELIZ 2007












-As rendas de casa sobem até 3,1 por cento, mas nas rendas antigas a actualização chega a 4,7 por cento.
-O aumento das portagens em média vai subir 2,6 por cento e, nas pontes sobre o Tejo, as portagens sobem 3,4 por cento.
-O tabaco sobe 9% para engrossar o erário público e não como há quem pense para proteger a saúde de quem quer que seja.
-Haverá um aumento de 2,1 por cento, que é a inflação prevista pelo governo para 2007, nos casos da água (que varia consoante as regiões e os fornecedores), dos transportes públicos (nalgumas situações os aumentos podem ultrapassar os sete por cento); subidas também da taxa moderadora dos hospitais e ainda do ISP, o imposto sobre os combustíveis. O gasóleo rodoviário subirá 9,5 por cento e sobre a gasolina 6,6 por cento. Tudo isto é calculado pelos preços actuais, mas, se o petróleo subir em 2007, os combustíveis ficarão ainda mais caros.
-As tarifas da electricidade vão subir 6% para cerca de 5,3 milhões de clientes domésticos e consumidores ligados em baixa e média tensão, 8% para os clientes ligados em muito alta tensão e 7,9% para os de alta tensão.
-Os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) vão pagar mais 1 a 5% pelos medicamentos comparticipados pelo Estado, a partir de segunda-feira, primeiro dia de 2007. Alguns dos fármacos mais vendidos deixam, contudo, de ser comparticipados.

-O pão irá aumentar o seu preço em 20%. Se fosse num país a sério haveria uma revolução a sério.

-No entanto se depois disto for possível, que seja um BOM ANO esse 2007 que aí vem!

sábado, dezembro 23, 2006

Feliz Natal




















-Para o dentista, Brocas Festas.

-Para o gato, Felino Natal.

-Para o cão um Fiel Natal.

-Para o pasteleiro, Feliz Nata.

-Para as Finanças, Falido Natal.

-Para a Selecção Nacional, Bolas Festas.

-Para o superior, Poucas Festas.

-Para o Governo, Fim Final.

-Para o Notário, Feliz Notal.

-Para o homem do talho, Facas Festas.

-Para o Bin Laden, Bombas Festas.

-Para J. Bush, Burras Festas.

-Para a sogra Longes Festas.

-Para o psiquiatra, Fobias Natal.

-Para Cuba, um SemFidél Natal.

-Para quem se ama, Longas Festas.

-Para a amiga hospedeira, Voas Festas.

-Para filhos, Brincas Festas.

-Para netos, Avô/Avó Natal.

-Para todas as crianças, um Petiz Natal.

-Mas, para todos os que aqui vêm de vez em quando e deixam, ou não, os seus comentários, desejo eu:

UM FELIZ NATAL !

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Da Criação














-Deus, em conversa casual, perguntou ao Arcanjo que estava de serviço nesse dia:
- Faço a Terra redonda ou chata?
-Redonda! – Responde o super-hiper-mega anjinho.
-Mas se fosse chata era mais fácil…! Já sei vou fazê-la redonda e deixá-los pensar que é chata. Só para chatear.
-Achas que vão demorar muito a descobrir?
-Um milhões de anos pelo menos. Não os vou fazer muito espertos. - Afirmou o Criador.
-E o Copérnico e o Galileu? Que lhes fazes depois?
-Depois vê-se, temos tempo, ainda nem sequer criei Portugal!
-Que mal tem? Esses acreditam em tudo, não hão-de dar problemas! Cria antes a Grécia.
-Por falar em Grécia e em Portugal… Lembras-te daquele da Cicuta?
-O anjólas pensou logo em futebol, mas depois reflectiu um pouco e acabou por se recordar:
-Sim, o tal Sócrates?
-Esse mesmo. Estava a pensar fazer dois desses… da cicuta!
-Dois? Para quê, se a historia não se repete?
-Pensei mudar também isso, mas ainda não decidi.
-Podia ser interessante sobretudo se rimasse.
-Óh filho, lá estás tu com a poesia. Não vês meu filho? Sócrates e cicuta não rimam, filho!

terça-feira, dezembro 19, 2006

INQUERITO DE NATAL












-
Pontue de um a 3 cada uma das frases, sendo que 1 significa total concordância e 3 discordância absoluta.
-No fim, some o resultado e veja o seu grau de “Natalinidade”.

( ) Secretamente deseja que o Pai Natal fique entalado na chaminé.

( ) Não está a pensar regularizar a sua dívida com a Segurança Social e o Fisco e ainda enviar um presente ao Conselho de Ministros.

( ) Sempre que ouve músicas de Natal coloca os auriculares e ouve todos os Mp3 de Heavy Metal e Acid Jazz que tem.

( ) Já tem saudades do António Guterres e de todos os anteriores ex-primeiros ministros incluindo o Marquês de Pombal.

( ) Acredita seriamente que aquela rena com nariz vermelho e brilhante não passa de um alcoólica inveterada.

( ) Costuma dizer que é muçulmano e que, como tal, não celebra o Natal.

( ) Recebe sempre presentes com menor qualidade do que os que oferece, menos cartões do que os que envia e menos IRS do que o que devia.

( ) Pensa que as iluminações são um desperdício de electricidade pelo qual, mais cedo ou mais tarde, um ministro o vai culpar.

(…) Decidiu, depois do jantar de Natal com os colegas de trabalho, que no próximo ano a sua “prenda-surpresa” irá ser um relatório com tudo o que realmente pensa deles e delas.

( ) Está certo de que é “Mary Christmas” e não “Merry Chistmas” o que o “velho gordo” grita e que esta é alguma “amázia” dele.

( ) Quando depois do Natal, alguém lhe pergunta como este correu, não sabe o que responder pois apenas se recorda da garrafa de Gin e da ressaca do dia seguinte.

( ) Não tem coragem para faltar ao jantar de família, mas este ano vai aparecer com um piercing no nariz e o cabelo verde e laranja.

( ) O peru causa-lhe azia, o polvo erupção cutânea, o bacalhau hemorróides e as batatas e couves flatulência.


De 13 a 20 pontos:

-Existem muitas probabilidades de que não goste da época natalícia mas ainda parece acreditar no Pai Natal. Continue neste caminho e talvez venha a descobrir que não está tão errado como por vezes pensa ou como lhe querem por vezes fazer crer. Tenha cuidado com os excessos mas sobretudo com as carências e com o fígado. Use o Prozac, o Gin e o cinismo com a possível moderação.

-De 20 a 29 pontos:

Já foi mais dado a natais do que é actualmente, no entanto possui um espírito de sacrifício em nome da tradição, dos valores familiares e dos “fretes” propriamente ditos que fazem de si um no meio de muitos. Tenha cuidado com os doces, com os salgados e com o sexo sem protecção, mas sobretudo tenha cuidado com o fisco.

-De 29 a 39 pontos:

HELLO ?!?
-O seu espírito natalício encontra-se elevado. Ainda acredita no Pai Natal e na recuperação económica portuguesa, apesar dos números mais recentes da União Europeia.
-Divirta-se o mais que puder neste Natal pois para si pode ser o ultimo sem a companhia de homens grandes vestidos de branco numa casa de muros altos; Pelo sim, pelo não mantenha à mão o numero do seu psiquiatra.

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Futebol/Futurobol










- Os jogadores acabam de entrar em campo, o público ainda não. Espera que pelo menos o jogo comece. Mas… o que é isto? Uma jovem loira acaba de entrar nua em campo e é agora perseguida por elementos do corpo da PSP. Do corpo de intervenção, está-se mesmo a ver. O ambiente é de grande excitação. Sobretudo para os efectivos do corpo de intervenção.
-O árbitro prepara-se para dar início ao desafio, mas não sem antes receber do presidente de um dos clubes, um relógio de ouro e de seguida agradecer ao presidente do outro clube, o convite para tomar café na residência deste. Eis que agora coloca o apito dourado na boca e que sopra para dar início ao embate que se prevê aceso.
-É Josézito Socrates quem dá o pontapé de saída na direcção de Anibalinho, este devolve a Josézito Socrates que já corre pela esquerda. Não, é pela direita que ele corre; este jogador diz-se esquerdino mas quer sempre correr pela direita. É um liberal! Tem agora pela frente Marquez Menendes, a quem dribla com facilidade e ultrapassa – dada a sua pequena estatura. Olha para o centro-direita em busca do apoio de Anibalinho. Este recebe a bola, o que só acontece por se estar ainda no início o jogo. Mais lá para a frente se verá… Incrível! Anibalinho chuta a bola com demasiada força e esta… perde-se em direcção ao Tribunal Constitucional.
-A bola é reposta e são já os jogadores da equipe laranja quem se prepara para atacar. Lewis Philip Meneses pede a bola na zona central; mas não lha passam. Parece impossível… Sendo este ex-jogador Gaiense um dos poucos que tem sempre remado contra a maré de azares que esta época afecta os Laranjinhas. É agora Luiz Marqez Godés que pára à entrada da grande área e atrasa na direcção de Deus Piño, que para não sujar os calções perde a bola pela lateral.
(…)
- A bola é reposta em jogo, com um lançamento que poderíamos dizer quase filosófico de Carrillo. Este, juntamente com Manolo Alegrete, têm frequentemente sido apanhados em fora de jogo posicional, tendo até o segundo, estado em dúvida para este jogo, por questões disciplinares ocorridas no seio da sua equipa.
(…)
- Do banco, o treinador Marcelo Sousa não se cansa de falar para dentro do campo enquanto olha para o relógio. Isto, em total contraste com o “treinador-rosa” Mário Sónares, que dorme a bom dormir desde o apito inicial.
(…)
- Falta pouco tempo para terminar a primeira parte, quando “os laranjas” se aproximam da grande área adversária. Marquez Menendes confiante na sua técnica de jogo tenta transpor os adversários, mas definitivamente falta-lhe a estatura e acaba por se estatelar à entrada da meia-lua. Entra Sita Ciábra, a massagista de serviço e de egos, para assistir o pequeno jogador que se contorce no relvado.
-Toni Monte-Alvão Maxshade, protesta entretanto com o juiz da partida acerca da justiça da sua decisão de não mostrar o cartão vermelho.
-O árbitro apita para o final do primeiro tempo.
(…)
- Voltamos de novo ao vosso contacto em directo e exclusivo desde o Estádio de Sítio, onde se disputa este desafio que se tem pautado pelas características que o caracterizam.
-Temos connosco um reputado comentador, conhecido pelo seu cabelo comprido e pelo modo como se senta em frente das câmaras de televisão.
-Nono Rodízio, como tem visto quer o jogo quer o comportamento da assistência?

NR - Bem, se pode caracterizar-se de algum modo este jogo, pode caracterizar-se como: “chato”, “aborrecido” e como um “verdadeiro roubo” a todos os que tem bilhete de identidade da República Portuguesa.
-As equipas têm estado iguais ao que se sabe que são: inoperantes e tímidas. Os melhores ataques, foram feitos pelos rosas; especialmente os ataques aos juízes, aos professores, aos funcionários públicos e o mais recente aos militares. No entanto, falharam no ataque: à pobreza, à lentidão da justiça, ao desequilíbrio social, ao atraso económico, às listas de espera na Saúde e até, imagine-se, falharam o ataque aos fogos no último Verão.
-Por seu lado os laranjinhas, não tem sabido,
desde a transferência do anterior capitão (Durão Argiloso), jogar em equipa: falham passes, não conseguem intercepções e não são capazes de resolver no balneário os seus problemas internos.
-Relativamente ao público aqui presente, a situação é confusa. Senão vejamos: existem duas claques vermelhas, sendo que uma, a mais ruidosa, não pára de lançar o que aparentemente são bombas de fumo; que fazem com que quem se encontre perto ria disparatadamente e diga idiotices. Ao passo que a segunda claque vermelha já trocou vários elementos de lugar, sempre que estes não gritam o mesmo que o líder de bancada. Líder esse, que apesar da juventude, apenas tem um grito de apoio: “Avante Camarada, avante!”
-Enquanto isso, na claque azul-amarela, o lider discute constantemente com um grupo para lamentar que quer o regresso do anterior lider de claque.

- Foram as primeiras análises possíveis e eis que se retoma neste momento a partida.
-A única substituição ocorre na equipa rosa. Para o lugar de Frétes do Amaral, que saiu com problemas nas costas e na ambição. Entra Luís Armado que regressou à pouco de um jogo no Líbano.
-Toni Pinho corre pela lateral como se fosse ao volante do seu bólide mas tropeça com aparato na linha de meio campo e acaba por perder a bola para Rui Riodouro - que não dá bola para ninguém e que sozinho quase marca um golo. Não esqueçamos que foi numa jogada assim, que no jogo contra o Ministério da Cultura, Rui Riodouro marcou um importante tento ao fazer um túnel à guarda-redes Pires de Lama.
(…)
-Agora é Mário de Lurdes Rodrigues, quem a passe do capitão corre desenfreadamente embatendo em toda a gente e deixando cair a bola com perigo. Tropeça desajeitadamente com as mãos nos pés e acaba por sair pela linha de cabeceira sem bola e sem remissão.
-A assistência assobia um tango e os jogadores rodeiam o árbitro que marca a Mário de Lurdes Rodrigues uma falta de Educação.
(…)
- O árbitro marca agora um livre contra os laranjas que contestam fracamente. O Árbitro consulta o juiz de linha e acaba por o expulsar.
(…)
- Desde à minutos que Tó Bitorino se encontra a fazer exercícios de aquecimento. Será desta vez que irá entrar em jogo? É que este ponta de lança quase sempre fica no banco, desde que regressou ao clube depois de jogar na Europa.
(…)
-Hermético Loureiro salta e consegue ganhar a presidência da Liga de futebol. Ali mesmo junto à linha de cabeceira e entramos no período de descontos, que daqui me pareceu serem 2 anos. Enquanto isso junto ao grande circulo há um ajuntamento e pelo menos dois jogadores trocam insultos; são eles: Beto Jardim e Carlos Lebre.
(…)
-Toni Costas Largas chuta na direcção do árbitro que marca um livre e foge com a bola em direcção aos balneários. O público protesta e detesta. A polícia intervém a pedir sindicatos e gera-se a confusão generalizada. Os militares passeiam-se agora pelo meio do campo e fuzilam um dos guarda-redes e o encontro termina pela última vez.

-Assim chega ao fim o encontro. Com o resultado nulo que se ajusta perfeitamente ao decorrer do jogo. Chega também ao fim a nossa transmissão com exclusivo patrocínio do Ministério da Saúde e não esqueça: “Se engravida amiúde e já tem idade, procure o ministério da saúde, não vá à maternidade!”
-A emissão segue a partir dos nossos estúdios. Boa Tarde a todos!

terça-feira, dezembro 12, 2006

AJUDE POR FAVOR





















-É simples. Ao clicar no botão "Um colo para cada criança" é remetido para uma página de patrocinadores que realizam uma doação, em dinheiro ou géneros, por cada clique que fizer.

-Pode fazê-lo aqui já!

Vá a este endreço ou use o botão directamente.

http://www.arcidadania.org/




Depois visite este site! Basta clicar aqui.


domingo, dezembro 10, 2006

Relatório da OCDE sobre Educação.
















Nota: O texto chegou-me via Email e já o encontrei noutros blogs. Como aqui já tive oportunidade de escrever, esta não é uma guerra que eu trave, mas não podia ficar calado e estúpido quando oiço diariamente barbaridades e mentiras que este documento contradiz.

"OS PROFESSORES em Portugal não são assim tão maus... ou cegos que guiam outros cegos."


Relatório da OCDE sobre Educação.
Consulte a última versão (2006) do Education at a Glance, publicado pela OCDE. Em http://www.oecd.org/dataoecd/44/35/37376068.pdf

-"Se consultar a página 58, verá desmontada a convicção generalizada de que os professores portugueses passam pouco tempo na escola e que no estrangeiro não é assim. É apresentado no estudo o tempo de permanência na escola, onde os professores portugueses estão em 14º lugar (em 28 países), com tempos de permanência superiores aos japoneses, húngaros, coreanos, espanhóis, gregos, italianos, finlandeses, austríacos, franceses, dinamarqueses, luxemburgueses, checos, islandeses e noruegueses!

-No mesmo documento de 2006 poderá verificar, na página 56, que os professores portugueses estão em 21º lugar (em 31 países) quanto a salários!

-Na página 32, poderá verificar que, quanto a investimento na educação em relação ao PIB, estamos num modesto 19º lugar (em 31 países) e que estamos em 23º lugar (em 31 países) quanto ao investimento por aluno."

-O documento está lá e a identidade que o produziu é idónea. A leitura é simples e a conclusão óbvia.

quinta-feira, dezembro 07, 2006

Cidades









-Existem cidades onde quando se chega apenas se deseja partir. Cidades onde se chega sempre em tardes de Inverno. Lugares de janelas cerradas por detrás das quais ninguém parece viver ou dormir. Cidades-estação, sem bilheteira aberta e de átrios vazios, onde nem os passos me ecoam. Urbes vazias, feitas de pedra e melancolia.
-São cidades que nos chegam, são elas quem sai do comboio e não nós. Têm todas um pássaro negro, um jardim, um rio ou um mar, mas não me terão nunca.

Mas há outras cidades que trago em mim, na ia íris e na pele. Cidades que não consigo terminar de decifrar e que estão grandes no mapa da minha memória. Nelas, consigo passear pelo seu passado e pelo meu; Passeio numa estando noutra, como se fosse um fantasma, uma voz remota do passado que não consigo misturar. Gasto a sola dos sapatos e não trago fotografias nos bolsos dos sítios visitados. Em algumas, parece-me que mudei de corpo e não de cidade; Parece-me que a minha geografia já não é a minha mas outra de um solo que sempre conheci sob uma lua cheia constante.

-As cidades também podem ser saudade, recordação alegre e dolorosa de momentos passados nas suas ruas e becos. Saudade da beira-rio a que ainda não consigo voltar por ser o universo do passado recente e já passado.
-Ainda hoje, sou capaz de reconstruir esse universo de avenidas em palavras, com estranhos nomes de ruas estranhas, de praças a que volto a cada passo, a cada recordação que não consigo deixar.

-As cidades, como os amores e o bom vinho, não se podem misturar jamais.


Nota:

-A foto, encontrei-a aqui: http://pedro-o-tolo.blogspot.com/2004_03_01_pedro-o-tolo_archive.html ; -Apesar de construir de raíz ou adaptar sempre as imagens que aqui uso, neste caso seria um crime de lesa-beleza. A foto, traduz integralmente tudo o que no texto quero desajeitadamente dizer e diz por só muito mais.
-Vale bem a pena olhá-la em maior dimensão do que a que aqui apresenta.
-Ao feliz autor o meu obrigado.

quarta-feira, dezembro 06, 2006

FUTURO









-São quatro da manha, acabo de terminar o pequeno-almoço que incluiu a dose diária de anti depressivos estatais, vitaminas hiper saturadas e fertilizantes autorizados. Já a seguir tomarei um duche anti-bacteriano de grau 9 com factor de protecção solar de nível 118 que é o recomendado para dias de trabalho como o de hoje.
-Precisava passar no centro de Saúde, mas agora sai muito dispendioso.-
-Hoje não irei vestir o fato roxo, prefiro usa-lo apenas nos dias de referendo, tomadas de posse ou funerais; Vou vestir o fato esmeralda que sempre me alegra o dia. Já tracei a rota para a viagem de ida. A central de controlo de tráfego enviou-me ontem ao início da noite para o meu implante comunicacional, a seguinte mensagem: “ Tome o itinerário IP-5243 ou em alternativa o IP-1457 e não se esqueça de efectuar a transferência do montante das portagens antecipadamente”. Antigamente eram gratuitas.
-Vou agora reactivar o implante e com certeza começarão a chover comunicações dos meus co-trabalhadores de imediato. Depois, abrirei a escotilha pressurizada que dá acesso ao meu veículo pessoal e iniciarei a viagem até à Sede da Empresa Europeia situada na Indochina Coreana.

Não me posso esquecer de, durante a viagem, encomendar as Oferendas Natalinas através do tele-ub-market e ver quantos créditos me restam até ao final do período.

Amanhã 7 de Dezembro é outro dia, espero chegar a poder vê-lo.

segunda-feira, dezembro 04, 2006

LOIRAS













-Alguns meses atrás li algures, que numa cidade brasileira havia sido instituído o “dia municipal de combate à descriminação das mulheres loiras”. Na altura aquilo pareceu-me mais um episódio de uma telenovela, ou algo destinado apenas a fazer correr tinta e buscar originalidade na vacuidade. No entanto ao pensar melhor, pareceu-me uma atitude interessante. Por fim que alguém teve a coragem de lutar contra essa terrível descriminação. As mulheres loiras também devem merecer todo o nosso respeito, porque não existe qualquer realidade ou fundamento, nas afirmações que se fazem acerca da sua inteligência, ou da apregoada falta dela. Pela minha parte, ainda acho que tudo não passa de um boato maldoso, quem sabe inventado por um namorado despeitado ou por uma morena invejosa.

-Nesta altura se alguém me ler, já deve estar a pensar: “Ora…, com certeza que tudo isto há-de terminar com uma frase do tipo: Se não entenderam eu repito e se forem loiras repito duas vezes”. Não, não é nada disso. Realmente, penso que existem já demasiadas descriminações e bastante sérias, para que deixemos esta crescer ainda mais. Existe por exemplo a descriminação contra o gordo, contra a mulher feia e no entanto, os gordos e as feias que por aí andam, sofrem tanto como as loiras ou mais ainda com este tratamento.
-Os gordos já sofrem o suficiente para entrar nos transportes, para encontrara roupas que lhes sirvam, sofrem pela sua saúde e sofrem sobretudo com as exigências que lhes fazem, muitas vezes de modo brutal e cínico, para que deixem de ser gordos.
-A mulher feia então sofre todo o tipo de dificuldades odiosas, apenas porque nós, em função de um julgamento subjectivo e preconceituoso que nos vincula a uma determinada imagem de beleza feminina, que nos é imposta, a agredimos sem sequer muitas vezes darmos por isso. Para quem preenche os requisitos mínimos para poder ser considerada feia pela sociedade, tudo é difícil: O emprego, a convivência social, a amizade, e até para conseguir marido, Aí então… vale quase tudo, desde a promessa ao Sº. António até à consulta da bruxa do bairro. -Como tal a descriminação contra o “gordo” e a”mulher feia” são bem piores do que a que se faz contra a “loira”. Esta, pode sempre mudar a cor de cabelo, enquanto que para deixar de ser gordo, gastam-se fortunas e milhares de horas de dieta e/ou ginásio; Tal como para deixar de se ser “feia” é exigido que se abdique dos traços com que se nasce; É necessária muita e dispendiosa cirurgia plástica. Tudo isto com a enorme carga de stress que acarreta esta nossa mania de descriminar com base em pouco ou nada.

-Há que desmentir a canção de Vinicius, “a beleza [não] é fundamental”, a beleza física pelo menos, a outra sim!

-E já agora…
-Vamos lá ver se nos entendemos: Truman Capote não era um toureiro!

-Francamente? Não sei porque postei isto...

SOLTAS












-Tenho um primo na Nova Zelândia, é o meu primo mais afastado!

-Desde que me dediquei à fotografia, à sobremesa só como pudim flash.

-Onde raio teria eu colocado aquele CD? Já procurara em todo o lado e nada de o encontrar.

Foi então que me lembrei de ligar para o programa de discos perdidos.

-Era tão vegetariano, tão vegetariano, que nem sequer na reencarnação acreditava.

quinta-feira, novembro 30, 2006

CAVALO





















-O cavalo é um animal mamífero desprovido de asas, excepto no caso de se chamar Pégaso. Tem o corpo coberto de pelos e que pelo sim, pelo não, também se cobre com uma sela quando é necessário. Comummente é considerado um quadrúpede, muito embora alguns especialistas insistam em falar de uma quinta, hipotética e hipódromica pata.
-Muita gente ainda hoje acredita que os cavalos são solúveis em agua, pelo que quando chove correm a tirar o cavalo da chuva.
-O cavalo é um animal muito útil ao homem, à mulher e ás crianças; mas é sobretudo útil ás éguas.
-Existem alguns espécimes que são muito apreciados pelo seu sangue, considerado puro e usado nas transfusões entre cavalgaduras que padeçam de problemas; Sobretudo quando padecem de cáries, o que vulgarmente acontece com cavalos dados, aos quais se não devem ver os dentes por fumarem como cavalos.

-Muito embora se trate de um animal muitas vezes referido na literatura, nunca será um épico mas apenas um hípico.

ESPECIES APARENTADAS:

Cavala – Espécie de peixe marinho do qual se fazem enchovas.
Cavalo-marinho – Espécie aquática semelhante ao cavalo vulgar, mas que vive rodeado de agua por todos os lados e não apenas quando chove.
Cavalo-vapor – Trata-se de uma espécie mais potente, característica de climas muito quentes e húmidos.
Cavalgadura – O Vizinho do 5º andar, quando põe a musica alto a altas horas.
Cavalgamole – Mulher do vizinho do 5º andar.
Chavalo – Filho do vizinho do 5º andar.
Cavalinho – Papel, quase sempre branco, que se crê ter esse nome por ser da mesma cor do cavalo de Napoleão.
Portro – Cavalo a fugir para o pequeno, típico da capital do norte e que diz muitas vezes “carago”.

segunda-feira, novembro 27, 2006

Sondagem











O que pensa do nosso 1º Ministro?
1) Muito Bom………….........3,141.592.653.589.793.238.462…%
2) Bom………………………..1,3%
3) Não sabe………………….3,4%
4) Nunca Provou…………….2,0%
5) É agnóstico……………….6,0%
6) Só conhece de fotografia…12,4%
7) Sim……………………….2.0%
8) Não……………………….7,8%
9) Ás vezes……………..........7,7%
10) Talvez…………………….22,3%
11) Conhece vagamente………28,5%
12)
Prefere peixe……………...98,9%

Breves conclusões:

Desta simples mas eficaz sondagem é possível concluir três coisas:

1ª. Mais de 80% dos portugueses com menos de um ano, são consumidores regulares de leite. Talvez por isso mesmo, seja tão evidente a tendência para que a terceira idade tenha mais anos do que qualquer outra.

2º. No universo dos entrevistados uma percentagem elevada usa telemóvel. Isto confirma-se facilmente pelo facto de todas as respostas terem sido obtidas através de sondagem feita por telemóvel.

3º. A fotografia está menos divulgada do que, a endoscopia, a tomografia, a pornografia ou mesmo a mamo-grafia. Deste facto não resulta no entanto, tanto quanto pudemos apurar estatisticamente, qualquer problema de saúde para os entrevistados da amostra, uma vez que a sondagem não é acerca do ministro da saúde.

4ª. Parece existir na população uma tendência para ser tendencialmente tendenciosa, nas suas opiniões uma vez que no totalidade das opiniões recolhidas, cada entrevistado expressou a sua própria opinião e não a de qualquer outra pessoa.

5ª. Facilmente se conclui também que 98,9% da população prefere comer peixe, pelo simples facto de não gostar de responder a sondagens idiotas, elaboradas e analisadas por idiotas, ou até mesmo acerca de idiotas

Ficha técnica: Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Caótica para o Blog In-Provavel no dia 1 de Abril de 2006. O universo alvo é a população com 0 ou mais anos residente em Portugal Continental em alojamentos com telefone fixo e suficientemente parva para responder. Os números de telefone foram seleccionados aleatoriamente da minha lista privada e em cada domicílio foi seleccionada a pessoa que mais perto estivav do telemóvel, na altura em que este foi atendido. Foram obtidos 3 inquéritos válidos, 50% deles a indivíduos do sexo masculino e 50% deles a indivíduos de sexo indeterminado, misto, ou sem sexo há mais de 3 anos. A taxa de resposta foi de 62%. (+/-). A margem de erro máxima da amostra é de 123,7%, com um nível de confiança de 5%.

quinta-feira, novembro 23, 2006

Urso em Discurso









Quis fazer um elevado e eficaz discurso,
e subido ao palanque de elevada altura,
discursou de lá como uma cavalgadura.
Fez, fez figura, mas uma figura de urso!

Yur Adelev

-Era o grande dia da aldeia. Toda a gente, do mais novo ao mais idoso, estava ali reunida no largo para ouvir o Presidente da Câmara Municipal, o Dr. Manuel Pêra. Esta era a primeira vez que ele presidia à festa desde que vencera nas últimas eleições o Eng.º João Carrapeta.
-“Minhas Senhoras e meus Senhores,…” - começou o presidente a dizer do alto do bebedouro das vacas. “Minhas Senhoras e meus Senhores, doravante será…”
-Lá do outro lado do largo o António da Carméla gritou: “O que quer dizer doravante?”
-“Daqui para a frente…” – respondeu o presidente e continuou: “Doravante, será este o dia em que homenagearemos o mecenas que…”
-O Tóne da tasca, empoleirado na roda do tractor do Bernardes, perguntou: “Que é que lá isso do “homejaremos”, ó Sr. Presidente?”
-Já a denotar alguma irritação o presidente lá foi explicando: “Homenagearemos! Homenagear, quer dizer comemorar, festejar. Entendido? Parem lá de interromper senão nunca mais termino! Dizia então eu que homenagearemos o mecenas…”
-“Mecenas é o santo não é Senhor Presidente? O que está na capela?” – Gritou a Ti Adélia do meio da malta com a sua voz esganiçada.
-Já a bufar, o presidente olhou para o seu adjunto que estava ali mesmo ao lado, dentro de um fatinho italiano, e que também já desesperava.
-“Não minha senhora, isso do santo, é padroeiro. Mecenas é … é benfeitor, é o homem que deu o dinheiro para construirmos o Centro Social, o Senhor Comendador Francisco Ferraz Franco Ferreira Fernandes!” – Disse o adjunto quase a gritar.
-“Então dia eu…” – Continuou o Presidente enganando-se. “Dizia eu, que doravante, será este o dia em que homenagearemos o benfeitor que nos permitiu a feitura deste…”-“Fei quê?” – Perguntou o Ti Zé, ali mesmo junto aos pés do presidente da Câmara e do adjunto.
-Nessa altura, o autarca deixou no ar um sonoro palavrão e atirou com os papéis por onde lia ao ar. Ainda se ouvia o eco da sua última frase e ele, seguido de perto pelo seu adjunto, já entrava no Mercedes preto com motorista fardado e saia da aldeia a enorme velocidade.
-Foi então que rebentaram as palmas efusivas e que todos se encaminharam para as fêveras e costeletas que se assavam ali perto no terreiro.

Por entre dois golos de tinto e uma dentada no pão, dizia o Tóne da tasca ao António da Carmela, à Ti Adélia e ao Ti Zé, que o rodeavam: “Ele hoje esteve muito bem. Excelente mesmo, não acharam? Deveras eloquente, sagaz, comunicativo e loquaz. Um verdadeiro tribuno, um orador nato!”
-Todos sorriram maldosamente.

quarta-feira, novembro 22, 2006

Se... PROMESSAS












-Se por acaso acredita em tudo o que lhe dizem, mesmo quando tudo parece, por todas as razões, ser falso. Se mesmo depois de ter a certeza de que lhe mentiram descaradamente, continua a desejar acreditar ou a fingir que acredita para não passar por idiota chapado e crédulo,

-Se é dos que tem que andar mais quilómetros para ir a um serviço de urgência com o braço partido ao peito ou a ter que ir muito mais longe do que antes ou até a Espanha para ver o filho, primo, neto, recém-nascido e pensa que assim mesmo é que é,

-Se costuma apresentar as suas contas, pagar as suas multas e/ou impostos religiosamente, e acha normal que existam ministros que o não façam e que acumulem ordenados chorudos com 30% de pensões insultuosamente elevadas,

-Se é dos que vêm os preços subir, o combustível subir, a electricidade subir e o poder de compra a baixar, mas apesar disso se sente esperançado nas promessas que lhe fizeram, e que eram o oposto daquilo que agora vê,

-Se encheu as janelas de bandeiras nacionais durante o mundial de futebol, de bandeiras do seu partido durante a campanha apesar de ver empresas a fecharem diariamente no telejornal, e ainda elogia o seu candidato,

-Se acreditou mesmo que todas as escolas, construídas algumas há menos de dez anos, deixaram de ter condições e não se importou de ver os filhos ou outras crianças, arrastados duas horas mais cedo para fora da cama a e aceitou tudo em nome da rentabilidade,

-Se nem mesmo depois de ver as estatísticas comparadas, deixou de acreditar que Portugal é dos países com maior taxa de funcionalismo público e que é deste sector que vem todos os males de que sofre,

-Se realmente acredita que o problema da justiça é culpa dos juízes, o da educação dos professores e não dos consecutivos ministros que tem “laureado a pevide” pelos respectivos ministérios e advoga que se resolvam à custa de quem trabalha nestes sectores,

-Se quando começou a trabalhar contava reformar-se cinco anos antes da data em que realmente o vai fazer, porque mudaram as regras a meio do jogo, contrariando o princípio da não retroactividade das leis e se sente feliz com isso,

-Se considera satisfatório o facto de pagar portagens onde antes não existiam e onde lhe prometeram que jamais existiriam,

-Se o seu candidato autárquico tem processos em tribunal por mil e uma coisas, fugiu para o Brasil ou tem na Suiça um sobrinho taxista e milionário e você ainda assim votou nele,

-Alem de ter exactamente o governo que merece, devia muito rápida e seriamente colocar a hipótese de começar a comer palha.

segunda-feira, novembro 20, 2006

3 Coisas de que gosto

Canela A canela é a especiaria obtida da parte interna da casca do tronco de uma pequena árvore com aproximadamente 10-15 m de altura, pertencendo à família Lauraceae. É nativa do Sri Lanka, no sul da Ásia.

-Conhecida desde a antiguidade e foi tão valorizada que era considerada um item a ser presenteado a monarcas e outros dignitários.
-No início do século XVI era trazida por comerciantes portugueses directamente do Ceilão (actual Sri Lanka, no sul da Ásia), chegando um quilo a valer dez gramas de ouro.
-Estudos da Associação de Medicamentos dos Estados Unidos (USDA) indicam que o uso de canela na quantidade de uma colher de chá diariamente reduz significantemente o açúcar no sangue e melhora a taxa de colesterol (LDL e triglicerídeos). Os efeitos, que podem ser conseguidos também ao utilizar canela em chás, beneficiam também diabéticos. Não se sabe ao certo se o consumo de canela é eficaz no combate à hipertensão arterial, mas é apontada como capaz de eliminar algumas bactérias nocivas do organismo e de diminuir a fadiga muscular.

-Tomada em doses excessivas pode ser tóxica, tal e qual como tudo na vida.
-Apesar de tudo isto, eu gosto dela no excelente arroz-doce, na magnífica aletria, no fantástico leite-creme, no saboroso café e no delicioso pastel de nata.



Flor de Sal – Já foi uma preciosidade cobiçada por chefs de cozinha e gourmets dos quatro cantos do mundo e até lhe chamaram “ouro branco”, mas hoje está mais democratizada e acessível.
-Portugal é um dos produtores de prestígio. As peças, isto é, os reservatórios de água do mar que compõem as salinas, localizam-se na costa atlântica e no Algarve. São necessários aproximadamente 80 quilos de sal marinho bruto para produzir 1 quilo dos caríssimos cristais de flor do sal, que chegam a custar quatro vezes mais que o sal marinho. Antes de secar completamente ao sol, a flor do sal apresenta uma coloração rosada, consequência do material, normalmente o barro, com que são construídos os tanques para abrigar a água salgada. O movimento desse líquido nas salinas ocorre em virtude da gravidade. À medida que secam, os cristais da flor do sal vão ganhando a brancura que lhes é característica. Sem sofrer qualquer tipo de processamento, são embalados directamente depois da colecta. Fonte natural de potássio, cálcio, cobre, zinco, magnésio – elemento que não está presente no sal marinho industrializado.

-Tudo isto é verdade, mas o sabor a mar, sol e vento, que confere a toda a comida em que é empregue, é algo tão suave e indescritível que vale realmente a pena.



Romã A Romã (Punica granatum L.; Lythraceae) é um fruto. Possui propriedades úteis no combate a doenças cardíacas e envelhecimento dada a sua abundância em elementos anti-oxidantes.
-Também é considerada como símbolo da prosperidade e da riqueza, e é uma das plantas com que na tradição judaico-cristã, Deus abençoou a Terra Santa.

-Considera-se também o fruto que simboliza o Amor.
-Gosto do sabor doce e delicado, da cor, da textura dos grãos semi-transparentes e do generoso sumo. Não gosto de a descascar, mas descasco.

quinta-feira, novembro 16, 2006

Manifesto anti-(?)



















-Em política imita o Sancho Pança.
-Para si a governação é uma espada embainhada que só desembainha em campanha e congresso. Não pertence à velha guarda do social, nem à nova guarda liberal, nem à guarda republicana, e de si, não guardaremos nada excepto a sua imagem, que é tudo o que cultiva.
-Se o senhor fizesse Teatro, seria o bocejo do público.
-Se fosse bocejo seria mau hálito.
-Se fosse D. Juan, seria D. Juan Tenório.
-Se fosse cego o seu cão levantar-lhe-ia a pata para as pernas.
-É rosa, mas é murcho!

-Tem a fala suave da suavidade esganiçada de tudo o que é falso.
-Morrem-lhe nos dentes, as palavras que traduzem as ideias com que outrora nos enganou.
-É ventríloquo por falar sem falar, por falar sem dizer e por dizer sem cumprir.
-O senhor não tem carácter, tem manias.
-Não tem opinião, tem consultores de imagem!
-Não tem consciência, tem a ambição de quem se rege pela cartilha do poder pelo poder e pelo prolongamento de si nele.

-Se fosse cinema, não seria tela mas mortalha.
-Se fosse verão, seria o vento frio da nortada nocturna.
-
É grande, mas não é grande coisa e jamais será grandioso!

- Aaaah!! – Diz o seu coro de cúmplices em admiração. Escondidos sob a mesa, aguardando de si as migalhas que lhes deixa cair da toalha do povo.

-Transformar dinheiro em saúde é divino, fazer o oposto é demoníaco. Os seus vermes hão-de sair-lhe do caixão sete vezes a vomitar.
-Se a desfaçatez fosse doença, seria vírus;
-Se fosse vacina, seria saúde.
-Desenvolver o ensino é magnânimo, atacá-lo é fazer o contrário, é ignominia.

-O senhor nasceu génio É reconhecido como génio sem nunca ter usado o génio que dizem que possui.
-Quando o país arde, vai para Africa; Quando o país se alaga, cai na neve de esquis.

-Se é verdade que tem má oposição é por não a necessitar.
-O senhor é a sua oposição, ou é pelo menos a oposição ao que foram as suas posições, e não devia.
-No hemiciclo, o senhor é um triciclo. Uma trindade de um, uma incoerência de trinta, um excesso de insuficiências.
-Desdiz hoje o que disse ontem com a falsidade de uma nota de trinta euros, de uma moeda de 3 cêntimos ou de um porco com asas.
-Se fosse montanhista, exploraria cavernas.
-Se fosse regra seria quebrada.
-Se fosse, jogo seria batota.

-Antes de si este povo tinha esperança e paixões, agora tem apenas desabafos.
-Fez baixar os braços a uma maioria que se fez sua pela ilusão, e que sua deixou de ser pela realidade.
-Há-de vir um dia feliz, em que na praça lhe faremos uma estátua de papelão para queimar e esquecer.
Sem Camões, sem António Vieira e sem Pessoa, Portugal teria perdido muito. Sem si já temos pouco a perder e se for embora, não se perderá nada!

segunda-feira, novembro 13, 2006

TROCADILHOS / DICATROLHOS









-Durante anos procurei o sentido da vida. Era obrigatório e estava afinal no bolso de um casaco que não visto desde o casamento do Alípio.

-Fui a uma ex-posição que tinha assumido há anos atrás, e não reconheci lá ninguém nem sequer a prima do mestre da obra.

-Ontem comprei um disco de vinil de uma banda que vi, niilista.

-O cigarro é um símbolo fálico, por isso se sonha com charutos, trate de tratar esse seu complexo de inferior-idade, ou então espere até ter idade superior.

-Após a realização de um inquérito interno, exteriorizou-se a ideia de que fora apenas por excesso de zelo que fracturara o tornozelo.

-Como nunca dominara aquela língua não queria acreditar nas frases que lhe saíam dos lábios, mas eram evidentes. Ficou de boca aberta.

-Abriu o par de janelas de par em par e parou.

-Já tinha tropeçado várias vezes e quase caíra. Só então se lembrou de olhar para baixo e foi quando reparou que tinha os dasatacadores apertados.

-Era um homem que praticava uma vida prática e estava praticamente perfeito. Apenas lhe faltava eliminar os seus defeitos que eram praticamente perfeitos em si.

-Sempre pensara que a sua mulher tinha útero, mas quando soube a verdade exclamou: “Óh… vários?”. Foi então que ficou para sempre de trompas como o Falópio.

-Naquela eleição, ele foi votado ao ostracismo. Mais tarde deixou búzios (no Brasil) para vir para Portugal. Só agora regressou para recuperar os seus búzios.

-A Câmara Municipal inaugurou 200 novos fogos; Para o efeito foram convidadas todas as corporações de bombeiros da região, bem como centenas de piromaníacos que, na ocasião, lançaram foguetes e palpites no Euromilhões.

-Paulatinamente lá foi abrindo caminho na carreira politica, à paulada e por entre mentiras.

-Naquele plenário da Assembleia, ele levantou-se e pediu a palavra. Foi há já seis meses e nunca mais a devolveu.

-Tinha sido espião toda a sua vida, e agora que já se aposentara ainda espiava os pecados que cometera.

-O primeiro-ministro prometera-lhe o lugar de ministro das pescas.Afinal ele era um bom “boy”, mas depois ficou tudo em águas de bacalhau. Foi uma boa “girl” quem ocupou o lugar… por causa das quotas… de pesca, claro!

-Os cortes aprovados para o ministério dos Negócios Estrangeiros levaram a que fossem cortadas relações com todos os países amigos e com os outros ministérios.

- Hora, Ora! – disse o orador e tinha razão: estava mesmo na hora “h”.

quarta-feira, novembro 08, 2006

Todos os nomes Vs. Bichos










-Conheço, por força de circunstâncias raramente agradáveis, vários veterinários, mas tenho um amigo veterinário que para além de ser competentíssimo na sua área, tem um sentido de humor acima da média. Ele costuma alegar que este lhe ficou da sua passagem pelo curso de direito, onde penou 4 anos no primeiro ano e onde lhe nasceu a vontade de lidar com animais de espécie diferente da daqueles que com que lidaria terminado o “curso das leis”.
-Há algum tempo encontramo-nos casualmente e não sei porque a conversa descambou para os nomes que os donos dão aos seus animais.
-Na realidade é para mim um mistério o que pode passar pela cabeça de alguém para chamar “Henrique” ao seu S. Bernardo, quando esse é o nome do seu sogro, ou Valentim por se ser de determinado clube de futebol. Conheço um gato chamado “Moço” porque ninguém lá em casa se decidia como lhe chamar, entretanto era tratado assim e lá ficou “Moço” para sempre.

-Já conheci “Otelos” que nada tinham que ver com a escrita de Shakespeare; “Atilas” “Neros” e “Capones” que eram cães meiguíssimos; “Fofinhos” que só sabiam arreganhar o dente e rosnar. Conheci animais com nomes de escritores famosos que os donos talvez nunca tivessem lido: “Poe”, “Eça”, “Dante”, “Balzac”, “Gogol”, “Pirandelo”, “Tolstoi”, e até “Neruda”. Outros tinham nomes de pintores e compositores clássicos: “Picasso”, “Beethowen”, “Botticelli”, “Verdi”, “Leonardo”, “Bach” e “Gauguin”. Nomes de celebridades: “Madona”, “Prince”, “Deco”, “Figo”, “Chaplin” e “Ciciolina”. Nomes de personagens de ficção: “Rambo”, “Mickey”, “Minie”, “Pluto”, “Lassie”, “Tintin”, “Milu”, “Asterix”, “Rantanplan”, “Zorro”, “Dumbo”, “Batman”, “Flash” ou até “La Gardere”. Há claro também, a interminável lista de (quase lhes chamaria nomes vulgares), como: “Rex”, “Bobi”, “Laika”, “Patusco”, “Fatucho”, “Traineira”, “Porto”, “Benfica”, “Sporting ou Sportem”, “Brilhante”, ou “Coimbra”.
-Tenho no entanto que confessar que não conhecia nomes como: “WC”, “Douradinho”, “Sapatilha”, “TV”, “Borgeço”, “Juscelino”, “Avatar”, “Sofá” ou imagine-se…“Pénis”.

-A minha gata chama-se “Papel”, porque gostava de mastigar os meus jornais e livros quando chegou lá a casa. Mas francamente, chamar “Cabra Elisa” a uma cadela em “honra” da ex-mulher…

terça-feira, novembro 07, 2006

Natal Comercial









-Desde há alguns dias que todos os centros comerciais deste país, todas as montras das ruas mais movimentadas, todos os supermercados, todas as lojas de 1,5€ e lojas de chineses se ornamentaram de enfeites natalícios. Isto apenas pode significar uma de duas coisas: ou a recente mudança de hora lhes deu cabo do último neurónio e já não sabem a quantas andam ou o Menino Jesus este ano nasce de sete meses. Seja qual for o caso este adiantar de datas só nos pode trazer problemas. Se começamos a celebrar o Natal em Setembro qualquer dia celebramos o S. João em Maio, o dia do trabalhador em Fevereiro, o Carnaval em inícios de Janeiro e porque não a passagem de ano na segunda quinzena de Setembro. Tenho sobretudo pena dos reis magos, vêm lá do oriente e chegados cá dão com a festa feita e com o nariz na porta, porque com certeza ninguém se lembrou de os avisar da antecipação comercial do Natal. E que dizer do Pai Natal? Se tem o azar de apanhar um dia dos de Verão de S. Martinho, com as suas vestimentas para o frio, vai ser bonito vê-lo a suar as estopinhas ou pior, a dar-lhe alguma coisinha má com tanto calor:

“Mamã, mamã, fui dar um mergulho na piscina e está lá ao lado o Pai Natal desmaiado.”

“ Não será o teu pai que já está com um grão na asa esta hora?”

-Entretanto as confeitarias vão ter que se desunhar para conservar o Bolo-Rei que com o calor vai ver estragarem-se-lhe as frutas.
-Penso mesmo que os únicos a quem a medida vai sair benéfica, vão ser as crianças. Pelo menos por uma vez na vida vão ter que se comportar bem, menos dois meses e na antiga altura do velho Natal, já vão poder deitar fogo às cortinas, atirar o Telemóvel da mãe pela sanita e colocar a dentadura do avô ao cachorro, sem receios de maior.

-Entretanto vou tentar fingir-me cego, surdo e estúpido a estas alterações de calendário de festas e mais uma vez vou tentar não jantar com os chatos do costume.