sexta-feira, fevereiro 27, 2009

CONGRESSO... OU















(CLICK NA IMAGEM SFF)


-Declaro oficialmente aberto... este cãogresso.. perdão, congresso!

(Sem intenção de ofender e com toda a tolerância democrática que me assiste, com respeito pelo direito de expressão e com receio que a PSP de Braga me entre porta adentro e me apreenda o Cartoon)

Aos congressistas e aos meus modelos um bom fim-de-semana de trabalhos e que nem uns nem outros me levem a mal.
Obrigado!

Por vezes apetece ser simpático ou marketing de loja e atendimento a clientes

soco no focinho In-Provavel

 

 

Isto liga-se ao "post" anterior e foi-me recordado por ele! e por um episódio que li aqui: http://bellsblog.wordpress.com/

Aconteceu em Setembro de 2005 e não fora a "CRISE", que há quem tente dizer que é apenas imaginação e produto da Comunicação Social, nada se teria alterado. IRRA!

Hoje de manha, a minha “errância matino-dominical” levou-me a uma das mais conceituadas lojas da minha cidade e onde acreditava ser possível comprar uma caixa de CD’s para gravar sem ser molestado, importunado, impedido de caminhar e incomodado por ninguém. Muito provavelmente, desde a minha ultima visita o gerente da loja deve ter feito um curso daqueles que não servem para nada mas a que chamam formação contínua na área de vendas; ou isso, ou acordou com uma terrível ressaca e decidiu que os “assistentes de loja”, deveriam a partir desse dia tornar a vida impossível aos possíveis clientes assaltando-os com exagerada e não solicitada simpatia e solicitude.

-BOM DIA!!!! - Disparou sobre mim uma simpática criatura que exibia colado no rosto o mais falso sorriso que algum dia tinha visto – Como posso ser-lhe útil hoje?
Reparei bem nela nessa altura, notei que se “plantara” solidamente entre o que eu estava a observar e a minha pessoa, que se encontrava armada com uma capa rígida e que parecia ameaçar-me com uma esferográfica bic no caso de eu não lhe responder.
-BOM DIA. – Respondi com um sorriso tão falso quanto o dela.
-Posso ajudá-lo nalguma coisa?
-Eu sei o que procuro, mas obrigado na mesma. – Respondi quando apenas me apetecia empurrá-la da minha frente e continuar o meu caminho.
Podia jurar que a resposta a insultou mas ainda assim deixou que passasse sem insistir.
Não tinha ainda dado doze passos quando um rapaz, com o cabelo apanhado em rabo-de-cavalo e de camisa ás riscas da mesma cor da gravata se materializou à minha frente e à queima-roupa me disparou outro “bom dia”.
-Olá!
-Como posso ser-lhe útil hoje?
-Só quero comprar uma caixa de CD’s graváveis!
-Tem gravador de Cd’s?
Nesta altura fiquei indeciso entre insultá-lo, agredi-lo ou fugir daquele manicómio a sete pés mas depois recordei-me que devem suportar por ali gente que não sabe mesmo o que anda a fazer neste planeta.
-Sim… Tenho gravador de CD’s!
-E, se me permite que quantidade pretende comprar?
-Uma caixa de vinte e cinco CD’s.
-Hum… mas assim sai-lhe mais caro do que comprar de cinquenta ou de cem.
Nesta altura eu já rosnava e procurava no seu pescoço um ponto, acima da gravata torta, para no mínimo agarrar com ambas as mãos e não voltar a largar até que se calasse ou desaparecesse para o buraco de onde tinha saído.
-Posso recomendar-lhe que a marca “X”?
-NÃO! Não, muito obrigado!
-Mas repare que estão em promoção!
-N-Ã-O, m-u-i-t-o o-b-r-i-g-a-d-o! Disse quase encostando a minha testa à sua e carregando bem em cada uma das letras.
-E posso perguntar porquê?
Respirei fundo cerrei os punhos e decidi: “Bem… se queres mesmo brincar, então vamos ambos brincar”
-Se eu lhe explicar, o senhor vai deixar-me comprar o que quero em paz e sossego?
-Claro eu apenas…
-Então cá vai: não compro essa marca por ser uma valente porcaria. Por já a conhecer, estar farto de CD’s estragados que não duram coisa nenhuma e que se recusam a deixar-se reproduzir em condições! Nem que os estivessem a dar em caixas de quinhentos eu os queria! Entendido agora?

-O senhor desculpe eu só queria…

Não o deixei terminar a frase. Contornei-o, e dando-lhe uma pancadinha no ombro disse-lhe: “ Eu compreendo, com licença e muito bom dia!”

Comecei a caminhar na direcção que pretendia mas ainda o ouvi dizer baixinho algo acerca de reclamar da qualidade da marca “X” junto da gerência.

Mal pude agarrei com ambas as mãos a embalagem sem sequer olhar ao preço e dirigi-me ao balcão para pagar e de onde me saudava já com um sonoro “-BOM DIA!!!!” a menina para lá da caixa.
-Posso ajudá-lo?
-Claro! Pode dizer-me quanto tenho que pagar aceitar o meu dinheiro e colocar a compra num saco por favor…mas só isso. – Rosnei eu o mais calmo possível.
Já estava quase na saída quando de novo na minha frente aparece nada mais do que a primeira “assistente de loja” colocando-se entre mim e a porta e de novo brandindo a esferográfica bic.
-Queria só perguntar-lhe se o atendimento foi simpático, posso?
-Pode e respondo-lhe já que foi simpático, demasiado simpático até.
Mas ela não entendeu o que eu dissera ou não se deu ao trabalho de movimentar o único neurónio e prossegui sorridente: “Ainda bem…então com certeza não se importa de me preencher um inquérito acerca da qualidade de atendimento? …É muito rápido!”

Estive a ponto de gritar, mas de repente sorri-lhe e disse: “Com certeza terei mesmo muito prazer!”.

Escrevi tudo o que me apeteceu com o mesmo prazer de quem atira uma pedra a uma montra, enforca um inimigo figadal ou amarrota um papel com disparates!

Soube-me mesmo bem então!

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Free Smiles / Sorrisos Grátis

smile in-provavel

Há dias atrás recebi um sinal. Não um sinal de Deus e nem sequer um daqueles que diz STOP ou que me encontro a passar numa área de atravessamento de veados. Nada disso. Era um sinal amarelo com dois olhos e um sorriso que estava “esparramado” num McDonalds em que tive que entrar para tentar sossegar os ruídos pungentes que as minhas entranhas teimavam em produzir àquela hora. O sinal dizia “Os sorrisos são Grátis!” e atingiu-me como uma pedra que trouxesse atrás de si um tijolo seguido de um sapato… Bum, em cheio!

Como sou português e adoro “borlas”, ao chegar a minha vez de debitar o que desejava à empregada, impecavelmente inserida dentro de um uniforme dois números acima do seu tamanho, pedi as batatas fritas, a bebida, o Big Mack e três sorrisos. Nessa altura confesso que estava curioso para ver como seriam as embalagens dos sorrisos; se seriam embalados todos juntos ou separadamente; se viriam no meio das batatas fritas ou com o hambúrguer; se seriam como os molhos diarreicos de ketchup e maionese a que já ouvi chamar molho de salsa, porque em “espanhol” salsa quer dizer molho mas há por aí quem não saiba.

A criatura em causa pareceu confusa com o meu pedido e examinou de ponta a ponta a lista do dia. Sorriu e tratou do meu pedido. Assim saí defraudado com apenas um sorriso, amarelo e a tocar o tontinho… em vez dos três que havia pedido e a que anunciavam ter direito.

Dias depois, numa grande superfície, encontrei no chão um papel que deve ter sido pertença de um dos funcionários que frequentou um daqueles cursos para lidar com os clientes. O papel continha uma série de regras acerca de como agir com os clientes; Coisas como “ Não pergunte ao cliente se necessita de ajuda! Em vez disso deve perguntar se encontrou tudo aquilo que procurava!”.

À primeira questão é fácil responder com um simples sim ou não mas a segunda pode complicar a vida do cliente, ao empregado e ao sistema.

Empregado: -Boa tarde. Encontrou tudo aquilo que procurava?

Cliente:- Na realidade… Não! Continuam a não ter nas prateleiras “Paz de Espírito”. A mulher da minha vida não estava cá! Não encontrei Fama, Fortuna ou Felicidade em embalagens de nenhuma espécie! Na realidade NÃO! Não encontrei nada do que procurava!

Para estes casos o papel estabelecia que o empregado deveria pedir desculpa ao cliente no caso deste não ter encontrado aquilo que pretendia.

Exultei! Na mesma semana sorrisos e pedidos de desculpa gratuitos!

Tenho que passar mais tempo em antros povoados por imbecis!

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Índia, uma mania como outra qualquer.

India In-provavel

Paira actualmente sobre o mundo uma nova mania. Não, não é o culto dos ABBA é o da Índia (Republica da União Indiana). Isto nota-se de tal modo que constou até que que Lili Caneças exclamou “Uaaaau!” quando alguém lhe pagou uma viagem à Índia para fazer um programa de 15 minutos recheado de imbecilidades. Era para ter sido uma série disfarçada de “histórica” mas não havia nenhum imbecil disponível e José Hermano Saraiva já se não desloca para tão longe. A senhora terá dito: “Uaaaau! Eles têm tudo o que nós temos: tecnologia, programas culturais como o Big Brother e o quem quer ser milionário, muitas posições sexuais, o Salman Rushdie, atentados, lojas de indianos, tolerância religiosa, carros pequeninos, computadores magalhães e muitos médicos estrangeiros. Até têm Goa, Damão e Diu’s (dispositivos intra-uterinos)… e… e… até têm SIDA e pobres,como nós… e agora têm um Óscar.”

Oscar, Oscares 2009: vencedores, perdedores e outros Oscara-alhos

oscar 0scares alho 2009 in-provavel

"The Curious Case of Benjamin Button"

Um filme curioso acerca de um caso curioso. Um homem que a cada dia fica mais novo mas não mais inteligente ou competente. Continua a garantir que não sabia nada acerca de coisa alguma e os disparates sucedem-se na banca nacional. Cada vez que rejuvenesce esquece a asneira e as esfarrapadas desculpas do caso anterior e repete-as, até nos cansar. Foi assim no BCP, no BPN e no BPP que se saiba… outros podem bem ocorrer brevemente e outros podem ter ocorrido. Afinal se ele não sabia por estar a rejuvenescer como poderíamos nós saber?

Esqueçam o Botox, injectem-se regularmente com identidades supervisoras e super-ordenados. Se isso não rejuvenescer há-de ter a sua utilidade já que o personagem parece não ter nenhuma.

"Frost / Nixon"

Confesso que me suscitou curiosidade acerca do que mais haveria para dizer acerca de Richard Nixon. Ainda pensei que ele fosse um “engatatão” ao nível de Salazar, mas afinal… não!


"Milk"

Um filme que tem como protagonista um leiteiro preocupado com a polémica acerca dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Para mim, sexo há só um: o bom, o excelente, o abundante, o satisfatório e o que gostaria de ter tido e não tive.

"The Reader"

História sem grande enredo acerca de alguém que adorando ler se via obrigado a recorrer às bibliotecas municipais e a empréstimos de amigos, já que os livros no seu país continuam a ter preços idiotas e impostos imbecis.

“Australia”

Um filme sobre um pais no tempo em que o maior problema não eram as aranhas venenosas, os crocodilos e tubarões que comem gente, as cheias brutais ou os incêndios incontroláveis.

"Slumdog Millionaire"

Um miúdo indiano apaixona-se e concorre a um concurso apresentado pelo Jorge Gabriel. Torna-se milionário, dono de uma loja num centro comercial prestes a fechar e acaba por aprender a falar português ao fim de 10 anos.

O título em português é como de costume, estúpido: "Quem quer ser milionário?". Basta ter em conta o numero de imbecis que investiram em bancos duvidosos, com procedimentos estranhos e produtos financeiros ainda mais estranhos. Em alternativa observem-se os ordenados dos gestores públicos, as suas reformas, os prémios auto-atribuídos e as suas mordomias não fiscalizadas por ninguém.

"The Wrestler"

Um lutador de verdade. Um homem que lutava para manter o emprego, para esticar o magro ordenado, para educar os filhos, para pagar os empréstimos, para ignorar os disparates da justiça, da saúde, da educação, dos governos e para sobreviver com alguma dignidade. Podia ser português e talvez seja.

"Doubt"

Um partido da cor da casca de um fruto chamado laranja é presidido por uma pessoa que a todos gera inúmeras dúvidas e incertezas. As únicas certezas deste “filme” são duas: “assim não chegam lá” e “ Porra, façam alguma coisa, já que mais do mesmo já mete nojo!”.

"The Dark Knight"

Um jovem “morcego” que ascende ao poder é responsável por actos dúbios de que vai escapando, encerrando universidades, nomeando “afilhados e compadres” para bancos e empresas, assumindo projectos que não concebeu e mantendo a postura de “virgem ofendida” de cada vez que alguém o acusa do que quer que seja.

"Vicky Cristina Barcelona”

Duas “belas” mulheres, uma ministra da Educação e outra Directora da DREN vão passar férias a Barcelona e acabam por ficar por lá ao conhecerem um artista qualquer. Há um país que regozija de contentamento e Barcelona que chora. Não é um épico mas pode bem considerar-se um hípico dadas as cavalgaduras em presença.

“Wall-E”

Um robot desadequado apaixona-se por uma “robota” e é fotografado durante uma ida ao cinema por uma revista “cor-de-rosa às bolinhas”. A manobra, apesar de tudo o que foi dito por imbecis, não distrai do passado e de uma certa não-ficção de justiça que chega de um planeta chamado Grã-Bretanha.

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

CARNAVAL NACIONAL PORTUGUÊS - CARTAZ
























Faça "Click" sobre a imagem.

terça-feira, fevereiro 17, 2009

Sócrates, Pinócrates e Pinóquio para acabar com a confusão.















COMUNICADO NACIONAL

Venho deste modo protestar contra o cartaz que usa a imagem do meu nariz no rosto de José Sócrates. Tal, apenas pode ser fruto de uma cabala e de uma “Campanha Negra” contra mim (pobre Vítima) ou contra este meu Partido de Desenhos Animados em ano de eleições.


-Eu até posso ter dito algumas mentiras ao longo da minha carreira mas jamais prometi 150.000 empregos; nunca inventei relatórios da OCDE que não existiam, sobre a Educação; jamais assinei projectos de barbaridades urbanísticas; não concluí qualquer curso a um Domingo nem me intitulei engenheiro antes do dito Domingo; não me "armo" a fazer jogging apenas no estrangeiro e jamais, JAMAIS o meu nome surgiu em qualquer carta rogatória da Polícia britânica. Também não fui eu quem prometeu mais e melhor Educação, Justiça, Saúde, Emprego e não cumpriu. Do mesmo modo que nunca me gabei de ter sido responsável pelo abaixamento de juros que não foram responsabilidade minha mas sim da oportuníssima crise e das acções do Banco Europeu.

Apesar do acima exposto, não venho exigir (nem mandarei, por mim, qualquer desenho animado fazê-lo) que o cartaz seja retirado. Também não irei (ou mandarei) telefonar para qualquer órgão de informação para que se evitem assuntos que me sejam incómodos. Tudo isto por não ser, como alguém que conheço, que "enchendo a boca" com a Liberdade de Expressão não suporta uma piada, ainda que ela traduza uma verdade indesmentível.

Sem outro assunto:

Pinóquio (O verdadeiro)





Prós e contras: Casamento entre PESSOAS do mesmo sexo, homosexuais ou pessoas apenas que se Amem!

casamento mesmo sexo

Já falara do assunto AQUI

O casamento, não foi pensado, ensaiado, criado, ou posto em practica a pensar nos cidadãos homossexuais (é um facto)!

A polémica… corre, ocorre, discorre e “escorre” por aí! (É a minha opinião! Respeitem-na!) e leiam o resto caso queiram!

Direito à diferença não se compadece com o desejo de igualdade absoluta e vice-versa!

A igualdade absoluta é a abdicação da existência da diferença.

Não é possível exigir o direito à diferença e o direito à igualdade em simultâneo. É uma pura contradição entre termos!

Cresçam todos os antagonistas (de ambas as convicções)! Reconheçam os direitos da igualdade e manifestem o desejo da existência da diferença reconhecida enquanto tal.

Palhaçada já basta!

Este programa não esclareceu nada, ninguém ou alguma coisa que fosse. Serviu apenas para cativar atenção (mediática e de share televisivo) e no pior dos sentidos: o da fractura de pontos de vista e da promoção de desavenças de opinião. Apenas aí terá prestado “serviço”!

Pessoalmente, reconheço a necessidade de direitos para quem se Ama ou julga que ama quem quer que seja (hetero ou homossexualmente falando); Independentemente daquilo que seja quem seja que se AME!

Direitos sim! Nomenclaturas ou pseudo-estados civis… reconhecidos por uma identidade chamada “Estado”, francamente não acho importante! Apenas a igualdade de direitos fundamentais e não (nem jamais) a igualdade de expressão de afectos com que o Estado não tem, nem deve ter absolutamente nada em que se intrometa!

Amem-se SIM!

O Estado que nos administre a vida em sociedade (ou que aprenda a fazê-lo sem mais "palha" oportuna para o próprio Estado) e não meta jamais o “bedelho” nas relações que os cidadãos desejem ter!

Nota: Sou heterossexual assumido e praticante! Não sou imbecil, homofóbico nem o seu inverso, nem admito que mo chamem, mas do mesmo modo não admito que chamem nada a ninguém ou desconsiderem quem quer que seja pelo que pensa, pratica ou Ama! Estou farto de rótulos!

Respeito as opções, desprezo os “carnavais exibicionistas” a que venho a assistir!

Ainda e sempre direi que um par é diferente de um casal! Direitos…? Devem ser iguais por sermos TODOS Cidadãos e estes direitos não devem depender do reconhecimento do Estado ou de um Governo Covarde e Ineficaz.

Como tal não admitirei comentários neste meu Post! Pensem o que quiserem, decidam de acordo com aquilo que pensam mas sobretudo pensem!

Não voltarei a falar deste tema!

Frase de encerramento do "Prós & Contras":

"Para a semana não há programa, é Carnaval!

Eu acrescento: Um Carnaval para que ela não irá contribuir "oportunisticamente"!!

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

terça-feira, fevereiro 10, 2009

Morte cerebral de Santos Silva

























Coisas sérias...

Falou-se muito do caso de Eluana Englaro a quem, por decisão de um Tribunal italiano, foram desligadas as “máquinas” de suporte de vida(?). Como sempre acontece, toda a gente tinha uma opinião acerca do assunto. Escreveu-se, debateu-se, discutiu-se tudo o que havia para debater, escrever e discutir e inevitavelmente colocou-se a questão de como seria se acontecesse em Portugal. Voltou-se a falar em “Testamento Vital” e nas manifestações de vontade ou convicção em casos semelhantes.

Eluana morreu naturalmente de inanição e incapacidade respiratória quatro dias depois. Não sei se ela sentiu algum alívio, e ignoro se o seu sofrimento terminou. O da sua família talvez tenha terminado.


e outras...


Quanto a mim aproveito para declarar que se algum dia me encontrar “cerebralmente morto” desejo que me desliguem as máquinas que me mantêm vivo. Desliguem-me a televisão se estiver a ver a TVI; Desliguem-me o computador se estiver a ler o inexistente relatório de OCDE que José Sócrates inventou e acerca de que despudoradamente citou algo que não era nada do que ele dizia ser.


Mas sobretudo desliguem-me o cérebro se:


Me virem a ler Paulo Coelho.

Perder o medo ao dentista.

Houver jogo da selecção (qualquer uma) e eu "torcer" pelo adversário.

Passar a acreditar na beleza poética das letras de Tony Carreira.

Admirar os modos e a argumentação de Augusto Santos Silva.


sábado, fevereiro 07, 2009

Facto da Semana

Xenofobia

XENOFOBIA OU DESRESPONSABILIZAÇÃO

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Luís Amado, considerou ontem inaceitável qualquer tentativa de discriminação de trabalhadores, portugueses ou não, e sustentou que quaisquer dificuldades laborais têm de ser resolvidas no quadro legal.

-Se o governo de que Luis Amado faz parte tivesse sabido cumprir o seu papel e promessas, os portugueses em causa e muitos outros não teriam necessidade de deixar o país para procurar emprego.

-Os portugueses e os italianos em causa auferem ordenados abaixo dos practicados no Reino Unido para trabalhadores com as mesmas funções. Logo são mão-de-obra entre o barato e a exploração.

-No reino Unido a taxa de desemprego é de 6,1%. Os trabalhadores que se manifestam em defesa do direito ao seu emprego também se manifestam pelo pagamento de salários dignos para todos e as manifestações têm-se dirigido muitissimo mais contra a ELF e as refinarias que preferem contratar trabalhadores “baratos” no estrangeiro ao invés de pagar os salários correctos e justos do que contra os trabalhadores estrangeiros em causa. Para concluir tal, bastaria que a comunicação social (de lá e de cá) tivesse mostrado os cartazes que na maioria eram visiveis nas "manif’s" e piquetes.

-A indignação do ministro, do governo, de alguns deputados e da “cambada” que corre a gritar “LOBO MAU, RACISTA E XENÓFOBO” a cada ocasião em que possa ter ou não ter razão, deveria ser dirigida contra as refinarias oportunistas; contra os governos italiano e português que não foram capazes de criar ou manter empregos e que preferem ver os seus cidadãos no estrangeiro como “explorados” do que no seu país como “trabalhadores”.

-BOA TEORIA e EXCELENTE EXEMPLO. Talvez a GALP possa encontrar nela inspiração para “importar” trabalhadores das Filipinas, da Indonésia ou de um dos raros países onde o trabalho é ainda mais mal pago e mais desrespeitado do que neste nosso.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Boletim Gripal

 

gripe in-provavel 

Ultimos quatro dias:

-Marcada influência de uma muito forte frente gripal, acompanhada por suores frios provenientes do interior do meu território.

-Grande variação térmica com amplitudes compreendidas entre os 38,5 e os 41 graus de temperatura corporal.

-Ocorrência constante de calafrios e trovoadas intensas no interior da cabeça, acompanhadas de rajadas dolorosas em todo o território corporal, especialmentente na região das costas.

Previsão para hoje:

-Ligeiro abaixamento da temperatura média.

-Melhoria ligeira do estado geral registado nos ultimos dias ainda que com a ocorrencia ocasional de dores lombares e cefaleias de moderadas a fortes como o caraças.

-Aumento marcante do indice de humidade nasal e continuação do consumo de lenços de papel.

Post Scriptum: Eu tenho esperança de melhorar. No entanto lamento não ter a mesma,  para este "Jardim à beira-mar tão gripado".

domingo, fevereiro 01, 2009

Dias de Chuva...






CHRIS REA - Raincoat And A Rose



"Há dias de chuva em chove apenas e outros em que chove realmente, até dentro de nós.

As gotas caem mais pesadas, fortes como pensamentos de pedra, salgadas como lágrimas.

Há dias em que a chuva parece querer tomar conta de tudo em nós e nos inunda e afoga. Bátegas incessantes que nos pregam ao chão e não nos deixam sequer o pensamento mover-se até um qualquer abrigo, a seco das memórias. Há dias de chuva assim que nos lembram outros dias de chuva."


Yur Adelev in "Pensamentos inúteis"