segunda-feira, maio 08, 2006

Breve historia do Erotismo















-Os povos da antiguidade não conheciam a diferença entre erotismo e pornografia e não se importavam nada com o facto.
-Para este texto deparei-me com grandes dificuldades, pois a escassez de obras de consulta é enorme já que a “Penthouse” não era vendida em Roma, a “Playboy” não era editada no Egipto, a “Lui” não se publicava na Grécia e os persas apenas liam a “Nova Gente”. No entanto, a conclusão mais evidente a que cheguei foi a de que estes povos apreciavam tudo aquilo que neste capitulo a humanidade actual aprecia sem qualquer distinção ou preocupação de distinguir entre: sexo, pornografia e erotismo.

Algumas questões prementes:
-O nariz de Cleópatra, era sexy, erótico, ou pornográfico?
-Os Hunos, combatiam semi-nus por facilitismo, naturismo ou exibicionismo?
-Os gregos, acreditavam mesmo na mitologia, ou criavam as lendas para disfarçar algumas facadazinhas que davam e atirar a culpa para os deuses e deusas?
-As múmias, exerceriam algum grau de atracção sexual sobre os egípcios?
-As pirâmides eram símbolos fálicos?
-Na Pérsia, a barba cerrada em cachinhos tinha algum poder de atracção?

-Todos sabemos que os gregos eram uns tipos liberais à brava; Eros era grego, Afrodite também, Apolo e aqueles sacanas que nos levaram o Campeonato Europeu de Futebol também eram. Em Atenas periodicamente, jovens de todos os sexos, pelo menos de quatro deles, juntavam-se para a prática de jogos que fariam corar Zeus se ele tivesse realmente existido.
-Os romanos, herdaram dos gregos alguma da sua liberalidade e dos lusitanos a restante que lhes haveria de permitir que inventassem as orgias de todos os dias e os semanais bacanais.
-Os egípcios não nos deixaram grandes testemunhos. Eram um povo estranho que tinha má caligrafia e andava sempre de lado, mas apesar de tudo sabemos hoje que não existe qualquer registo de que tenham existido múmias semi-nuas.
-Os hunos, sabemos terem sido um povo muito fértil pois as hunas não tinham filhos mas sim hordas deles, que arrasavam tudo por onde passavam.

-Talvez aqui volte ao assunto para falar da idade média, que como todos sabem, é a idade em que a humanidade ainda não tinha idade para fazer algumas coisas e já não tinha idade para fazer outras. Por isso e por não existir ainda electricidade, há quem lhe chame a idade das trevas, embora eu não concorde de modo algum, pois como já referi, os casais nem tinham luz para apagar.


Rui

3 comentários:

Ramos disse...

hoje na RTP passara um documentario depois das noticias das 20 horas com o titulo ORFÃOS DA PATRIA. A outra face do dia dos cravos, QUE OS PORTUGUESES DESCONHECEM

Luisa disse...

Pelo que tenho lido - e aqui tu descreves tão bem - muitas práticas consideradas imorais agora, eram consentidas nas antigas Grécia e Roma. Não chego a saber é se eles próprios as consideravam também imorais mas não estavam para se ralar ...

Visi disse...

Imoralidade tem muito que se lhe diga! Nos tempos actuais em que se BANALISA tanto a "moral e os bons costumes", cada vez faz menos sentido o real sentido da palavra.
Sensualidade, sexualidade e depravação invadem-nos diáriamente os sentidos, na nossa vida simples e pacata, sem que nos apercebamos!Por isso está tão vulgarizada e ACEITE inconscientemente!