sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Por vezes apetece ser simpático ou marketing de loja e atendimento a clientes

soco no focinho In-Provavel

 

 

Isto liga-se ao "post" anterior e foi-me recordado por ele! e por um episódio que li aqui: http://bellsblog.wordpress.com/

Aconteceu em Setembro de 2005 e não fora a "CRISE", que há quem tente dizer que é apenas imaginação e produto da Comunicação Social, nada se teria alterado. IRRA!

Hoje de manha, a minha “errância matino-dominical” levou-me a uma das mais conceituadas lojas da minha cidade e onde acreditava ser possível comprar uma caixa de CD’s para gravar sem ser molestado, importunado, impedido de caminhar e incomodado por ninguém. Muito provavelmente, desde a minha ultima visita o gerente da loja deve ter feito um curso daqueles que não servem para nada mas a que chamam formação contínua na área de vendas; ou isso, ou acordou com uma terrível ressaca e decidiu que os “assistentes de loja”, deveriam a partir desse dia tornar a vida impossível aos possíveis clientes assaltando-os com exagerada e não solicitada simpatia e solicitude.

-BOM DIA!!!! - Disparou sobre mim uma simpática criatura que exibia colado no rosto o mais falso sorriso que algum dia tinha visto – Como posso ser-lhe útil hoje?
Reparei bem nela nessa altura, notei que se “plantara” solidamente entre o que eu estava a observar e a minha pessoa, que se encontrava armada com uma capa rígida e que parecia ameaçar-me com uma esferográfica bic no caso de eu não lhe responder.
-BOM DIA. – Respondi com um sorriso tão falso quanto o dela.
-Posso ajudá-lo nalguma coisa?
-Eu sei o que procuro, mas obrigado na mesma. – Respondi quando apenas me apetecia empurrá-la da minha frente e continuar o meu caminho.
Podia jurar que a resposta a insultou mas ainda assim deixou que passasse sem insistir.
Não tinha ainda dado doze passos quando um rapaz, com o cabelo apanhado em rabo-de-cavalo e de camisa ás riscas da mesma cor da gravata se materializou à minha frente e à queima-roupa me disparou outro “bom dia”.
-Olá!
-Como posso ser-lhe útil hoje?
-Só quero comprar uma caixa de CD’s graváveis!
-Tem gravador de Cd’s?
Nesta altura fiquei indeciso entre insultá-lo, agredi-lo ou fugir daquele manicómio a sete pés mas depois recordei-me que devem suportar por ali gente que não sabe mesmo o que anda a fazer neste planeta.
-Sim… Tenho gravador de CD’s!
-E, se me permite que quantidade pretende comprar?
-Uma caixa de vinte e cinco CD’s.
-Hum… mas assim sai-lhe mais caro do que comprar de cinquenta ou de cem.
Nesta altura eu já rosnava e procurava no seu pescoço um ponto, acima da gravata torta, para no mínimo agarrar com ambas as mãos e não voltar a largar até que se calasse ou desaparecesse para o buraco de onde tinha saído.
-Posso recomendar-lhe que a marca “X”?
-NÃO! Não, muito obrigado!
-Mas repare que estão em promoção!
-N-Ã-O, m-u-i-t-o o-b-r-i-g-a-d-o! Disse quase encostando a minha testa à sua e carregando bem em cada uma das letras.
-E posso perguntar porquê?
Respirei fundo cerrei os punhos e decidi: “Bem… se queres mesmo brincar, então vamos ambos brincar”
-Se eu lhe explicar, o senhor vai deixar-me comprar o que quero em paz e sossego?
-Claro eu apenas…
-Então cá vai: não compro essa marca por ser uma valente porcaria. Por já a conhecer, estar farto de CD’s estragados que não duram coisa nenhuma e que se recusam a deixar-se reproduzir em condições! Nem que os estivessem a dar em caixas de quinhentos eu os queria! Entendido agora?

-O senhor desculpe eu só queria…

Não o deixei terminar a frase. Contornei-o, e dando-lhe uma pancadinha no ombro disse-lhe: “ Eu compreendo, com licença e muito bom dia!”

Comecei a caminhar na direcção que pretendia mas ainda o ouvi dizer baixinho algo acerca de reclamar da qualidade da marca “X” junto da gerência.

Mal pude agarrei com ambas as mãos a embalagem sem sequer olhar ao preço e dirigi-me ao balcão para pagar e de onde me saudava já com um sonoro “-BOM DIA!!!!” a menina para lá da caixa.
-Posso ajudá-lo?
-Claro! Pode dizer-me quanto tenho que pagar aceitar o meu dinheiro e colocar a compra num saco por favor…mas só isso. – Rosnei eu o mais calmo possível.
Já estava quase na saída quando de novo na minha frente aparece nada mais do que a primeira “assistente de loja” colocando-se entre mim e a porta e de novo brandindo a esferográfica bic.
-Queria só perguntar-lhe se o atendimento foi simpático, posso?
-Pode e respondo-lhe já que foi simpático, demasiado simpático até.
Mas ela não entendeu o que eu dissera ou não se deu ao trabalho de movimentar o único neurónio e prossegui sorridente: “Ainda bem…então com certeza não se importa de me preencher um inquérito acerca da qualidade de atendimento? …É muito rápido!”

Estive a ponto de gritar, mas de repente sorri-lhe e disse: “Com certeza terei mesmo muito prazer!”.

Escrevi tudo o que me apeteceu com o mesmo prazer de quem atira uma pedra a uma montra, enforca um inimigo figadal ou amarrota um papel com disparates!

Soube-me mesmo bem então!

4 comentários:

Vasco Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vasco Matos disse...

Lembrei-me de duas coisas ao ler isto, ambas passadas com a Cabovisão, de que sou freguês: a primeira foi o tom de incredulidade do senhor do marketing, ao telefone, quando lhe disse que não queria Sport TVs nenhuns porque não ligo a desporto e muito menos a futebol; a outra, foi com uma menina, nas mesmas circunstâncias, que não havia meio de entender, apesar de ser grátis durante determinado período, porque é que eu não via qualquer utilidade em ter os canais "eróticos"... Bom fim-de-semana! :)

aquelabruxa disse...

esses trabalhos são muito tristes... deve ser isso e vender enciclopédias, especialmente no período pós-internet.

bell disse...

Às vezes, tenho pena deles, das figuras que são obrigados a fazer.

Essas dos inquéritos de qualidade é outra. Cada vez que levo o carro à oficina, telefonam-me a fazer um inquérito à qualidade do atendimento. Já estive para lhes perguntar se não têm mais nomes na lista ou então para responder tudo mal. Desisti da segunda, não fossem eles arranjarem-me mal o carro na próxima visita...