segunda-feira, agosto 28, 2006

Ressaca











-A minha cabeça lateja como a pele de um tambor. Mas isso nem sequer me interessa, todo o gin é justificado, seja com ou sem agua tónica. Ah… bolas lá para o estilo, isto sim é uma ressaca.
-Bem podia haver quem mandasse calar este parvo palrador ou quem sabe dar-lhe um tiro; Não, tiros não, já chegam os do Iraque.
-Todo este discurso vago e pretensamente filosófico me enterra ainda mais no sono e no alheamento. Será que a filosofia toda caberia no meu último copo de gin? Em todo o caso agora bebia um litro de água.

Será que sou só eu, quem não está a ligar absolutamente nada ao que este insuflado génio está para ali a prégar às moscas? Aposto que aquele ali logo à frente, a rabiscar, também não está cá ou se estiver, está com o mesmo interesse que eu.

-Caramba, ainda falta meia hora, por vezes o tempo é mesmo um mistério cruel.

-Eu já sabia que iria ser assim, aliás eu já sabia desde o início que iria ser assim. Há tantas coisas que sei e a que desprezo a utilidade, e tantas que não sei e que acho úteis. Há tanta coisa que queria. Queria escrever como o Mário Cláudio, queria desenhar como o Alex Raimond, queria compor como o Rodrigo Leão, jogar futebol como o Figo, queria ter e ser de ...

-Acho que me vou embora, estou farto de estar aqui a secar…
-Nestas alturas, dá-me uma inveja de quem se preocupa filosoficamente. Queria estar mais integrado na contemporaneidade em vez de ter esta existência caótica e este amargor seco na boca.

Quem será mais estúpido aqui? O fala-barato pomposo ali no palco, quem não o entende, quem finge entender ou quem o compreende realmente?
-O Plano Regional de Ordenamento do Território do Norte (PROT - Norte) é mesmo fantástico. Como pude eu viver tanto tempo sem que existisse o PROT? Como é boa esta nostalgia saudável que o PROT possui, arre!

-Entretanto vou escrevendo, sempre me faz parecer interessado e tenho ainda muitas paginas em branco. Entretanto recordo outras conferências, outros lugares, outros temas e companhia bem mais interessante do que o “mostrêngo” aqui ao lado; recordo uma em especial… com música de harpa ao fundo.

-Ah, ainda um dia vou entender porque guardo todos os papéis que me dão, ainda que inúteis; Quase nunca os releio nem analiso.
-Bolas, tenho o atacador desapertado…
-Olha, terminou finalmente.
-Café, café, café e agua, muita agua!
-Tenho saudade, agora que me deixei pensar, fiquei ainda com mais saudade.

-Boa tarde, quero um gin-tónico, sem gelo se faz favor!

Rui

1 comentário:

Calca disse...

Gostei, particularmente da parte de escrever para tornar o PROT "útil". Henhehehe... Abraço!