domingo, março 05, 2006

A LÁPIS













-Gosto de escrever a lápis.
-
Gosto do som que a ponta macia faz ao sujar o papel.
-Escrevi sempre muito a lápis, gastei incontáveis tubinhos de madeira com a grafite dentro em afiadelas consecutivas. Reduzi o tamanho a muitos lápis, ate serem pequenos demais para me caberem na mão; Guardo essas pontas numa caixa, não sei porquê, como guardo todas as inúteis recordações que guardo sem saber porque o faço.

-Recordo com saudável saudade o som entrechocalhante que os meus lápis faziam na sua caixa de madeira que usava na escola. O cheiro a madeira intenso quando deslizava a tampa. O cheiro das apáras em espiral que saíam do afia-lápis e o traço a engrossar a cada letra, até à afiadéla seguinte.

-Agora uso um porta-minas,com minas quase tão finas como cabelos, que de quando em quando tenho que empurrar para continuar a sujar o papel com as palavras cinzentas.

Rui
Sábado, 04/02

3 comentários:

Alien David Sousa disse...

Já consideraste tentar a caneta? ;)

BB disse...

Que saudades me deste da escola primária, Rui.

Senti o cheiro de que falavas como se tivessemos sido colegas de carteira.. e eu tivesse sentido o mesmo cheiro das aparas...

Lembrei-me também das colagens coloridas de fazia com essas mesmas aparas.. em folhas de cartolina...

Muito bom.. MESMO *

Zeca disse...

As minhas recordações não fogem muito das da "BB".

Até ganhei um prémio com as aparas ao fazer uma máscara.

E como recordações são o melhor desta vida, este post foi para o Plagiadíssimo.
Passa por lá e fica bem.