segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Postes e cães












-Existem no mundo pessoas que para mim são sinónimo de aborrecimento profundo. Gente que não entende, ainda que se esforce, o básico principio de que o óptimo é inimigo do bom e que até o mal tem lugar no universo.
-São pessoas que não recusam a mais ínfima oportunidade de meter o nariz em tudo, de falar acerca do que lhes não diz respeito e emitir o maior número de opiniões não solicitadas. Para algumas dessas pessoas, o mundo é o palco do teatro em que gesticulam grandes gestos a ilustrar discursos grandiosos e ocos. Neles o pior é não conseguir evitar-lhes o fogo caloroso dos seus conselhos, das suas erróneas apreciações condoídas e dos comentários bem intencionados. São na maioria pessoas sinceras, que julgam que podem mudar o mundo apenas expressando o seu desejo de o fazerem. São eles próprios os seus maiores admiradores, admiram e admiram-se com as suas próprias palavras e ideias, embora nunca se rejam por elas. Tem em todas as ocasiões um pensamento caridoso e uma palavra que julgam profiláctica e tem dificuldade em respirar entre tantas palavras inúteis.
-Esquecem no entanto, quase sempre, que o interesse nessa cadeia de infernais boas intenções, nem sempre é partilhado por aqueles que delas são alvo.

-Olho-os como os postes olham os cães.

Rui

1 comentário:

Luisa disse...

São aquilo a que se chamam os "chatérrimos", não é?