sábado, março 20, 2010

Dia do Pai

scool of dreams - david weisner - in-provavel
Toda a gente, pelo menos uma única vez na vida, passou algum tempo a olhar as nuvens no céu e a imaginar ver aí “coisas” reais.
Sobretudo na infância, quantas vezes não demos por nós, deitados numa pedra ou num prado, na praia ou apenas na varanda a olhar as nuvens e a ver nelas tudo aquilo que desejávamos ver: elefantes, cisnes, pessoas conhecidas, navios…
Eram sem duvida uns momentos divertidos e uma parte inesquecível da infância. Nessa altura não existiam as fronteiras de hoje à nossa capacidade de sonhar, éramos capazes de transformar agua sob a forma de vapor em todo o tipo de sonhos.
Éramos capazes de ver o que queríamos ver. Agora, crescidos que somos, sentimos obrigação de ver tudo como os outros o vêm.
Recordei-me sem aparente motivo, ou talvez porque sempre me recordo, do meu pai.
Recordei uma manhã em que eu, doente, perdia a primavera lá fora e apenas via o sol eas núvens que entravam pela janela aberta de par em par no meu quarto de menino.
Jogávamos cartas sobre a cama e ele falava comigo não sei acerca de quê já, mas lembro que naqueles momentos me esquecia da primavera lá de fora, da escola e do tempo que já passara, primeiro no hospital e depois naquela cama.
Ele fazia-o sempre que podia e conseguia poder muitas vezes.
Sempre que se sentava comigo, ao fundo da cama trazia-me qualquer coisa nova, um livro ou uma história do seu tempo de criança; E eu que já não gostava que me contassem histórias… ficava a ouvir com toda a atenção que podia fingir e acabava sempre por gostar e pedir outra e outra até à hora de almoço.

E hoje, quando pela janela do meu quarto olhei as nuvens, não foram animais nem cenas de fantasia que vi. Foi o meu pai, mas vi-o de uma maneira tão intensa e tão real como nunca pudera ver no céu nada nascido da minha imaginação nem na minha enorme saudade.

4 comentários:

Violeta disse...

Então, se o viste nas nuvens só posso dar-te os parabéns, porque esse foi um momento de felicidade. E o que é a vida, senão momentos de felicidade?

Henrique de Jesus disse...

Feliz dia!

Há.dias.assim disse...

Não tenho mais pais, nem fui de comemorar os dias de qualquer coisa, mas nos últimos tempos ando a pensar no meu pai.

paula teles de menezes disse...

A vida é feita de momentos, choramos, rimos, sonhamos corremos dormimos tudo.....enfim é exactamnete o que é viver! e é tão bom termos a sorte de nos lembrarmos do que passou. Ontem também me lembrei dos bons momentos que passei com o meu PAI e foi bom, mais uma vez chorei, ri e agradeci a Deus ter tido um Pai fantástico.